Vozes resistentes na e da aldeia

da colonialidade às expressões artísticas indígenas contemporâneas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36942/iande.v5i1.330

Palavras-chave:

Pensamento Ocidental, Culturas Indígenas, Hibridismo Cultural, Culturas Ancestrais

Resumo

A visão de que as identidades sociais estão diretamente ligadas a constituição de raças, e estas submetidas a um complexo sistema de dominação associadas a lugares e papéis sociais específicos nos leva a questionar: qual é o lugar da arte indígena no panorama de nossa sociedade? Como pensar as manifestações culturais produzidas desde outros referenciais? Até que ponto as artes produzidas pelas populações indígenas revelam modos outros de pensar? Para dar conta deste propósito elegeu-se dois artistas indígenas do povo Guarani: o escritor Olívio Jekupé e o artista visual Xadalu. A metodologia ampara-se na perspectiva ensaística, compreendida como um modo de produzir a reflexão marcada pela trajetória, pelos acessos que teve aos materiais e como as provocações vão anunciando formas para construir a análise, desde a perspectiva do pesquisador/autor. No estudo destaca-se que para Xadalu, as ruas constituem-se o espaço prioritário das manifestações e para Jekupé, o uso da palavra escrita, ferramenta própria do colonizador, é tomada como estratégia para exercitar modos de produção de um projeto que se anuncia já no ato mesmo da construção desta escrita desde outros parâmetros, rompendo assim com a perspectiva de uma leitura que remete para compreensões de menoridade, inferioridade ou hierarquias. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvania Lúcia Chaves Assis, Universidade La Salle

Mestranda em Educação, pela Universidade La Salle, Canoas (RS), na linha de pesquisa Formação de professores. Especialização  em Metodologia do Ensino Básico e Gestão Escolar. Professora de História e Geografia do ensino  básico. Integra o grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI). E-mail: silchaves502@gmail.com  ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7370-2914

Patrícia Gusmão Maciel, Universidade La Salle

Doutoranda em Educação pela Unilasalle; Mestre em Artes Cênicas pela UFRGS, com pós-graduação em Psicopedagogia pela UNIASSELVI / RS, Gestão Cultural pelo SENAC-RS, e Letras, Literatura e Ensino pela FURG (em andamento); Graduada em Teatro - Licenciatura pela UFRGS. Atua como docente e pesquisadora na área de Artes e Educação, principalmente nos segmentos de artes, teatro, educação e formação de espectadores. Desenvolve pesquisa em Pedagogia do Teatro, em especial sobre Mediação Teatral, e escrita criativa. Membro fundador do grupo ColetiveArts, atuando na área de escrita literária.  email: patricia04maciel@gmail.com ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8354-2774

Liliane Kolling, Universidade La Salle

Mestranda em Educação - Universidade La Salle - Canoas, Especialista em Psicopedagogia e Gestão Escolar - PUCRS - Porto Alegre, Graduada em Pedagogia - PUCRS - Porto Alegre. E-mail: liliane.kolling@lasalle.org.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5869-3450

Gilberto Ferreira da Silva, Universidade La Salle

Doutor em Educação. Professor do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade La Salle. Pesquisador CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI). E-mail: gilberto.silva@unilasalle.edu.br ORCID: https://orcid.org/0000-0002-6294-2322

Referências

ADORNO, Theodor Wiesengrund. O ensaio como forma. In: Notas de Literatura. Tradução de Jorge de Almeida. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2003. p. 15-46.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. A atuação dos indígenas na História do Brasil: revisões historiográficas. Revista Brasileira de História. [online]. 2017, vol.37, n.75, p.17-38.

AMARAL, João Paulo Pereira do. Da colonialidade do patrimônio ao patrimônio decolonial. Dissertação (Mestrado) – Instituto do Patrimônio Artístico Nacional, Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural, Rio de Janeiro, 2015.

HERKENHOFF, Paulo. Xadalu e guaranis: diagramas de alteridade e trocas. Xadalu.com, s.d. Disponível em: http://www.xadalu.com/ Acesso em: 23 jul. 2020.

JEKUPÉ, Olívio. 500 anos de angústia. Publicação independente, São Paulo: 1999.

JEKUPÉ, Olívio. Verá: o contador de Histó rias. São Paulo: Peirópolis, 2003.

JEKUPÉ, Olívio. Olívio Jekupé e Kunumi MC, duas gerações de uma luta de cinco séculos. Entrevista concedida a Ricardo Machado e Julie Dorrico. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo-RS, ano XVIII, edição 527, p. 48-53, agosto, 2018. Disponível em: Disponível em: http://www.ihuonline.unisinos.br/media/pdf/IHUOnlineEdicao527.pdf Acesso: 23 mai. 2020.

LISBÔA, Paulo Victor Albertoni. O escritor Jekupé e a literatura nativa. [Dissertação Mestrado]. Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas: SP, 2015.

MIGNOLO, Walter. “Postoccidentalismo: el argumento desde America Latina”. In: CASTROGOMEZ, Santiago & MENDIETA, Eduardo (coords.). Teorías sin disciplina: latinoamericanismo, poscolonialidad y globalización en debate. Mexico: Miguel Angel Porrua, 1998.

MENEGHETTI, Francis Kanashiro. O que é um Ensaio-Teórico? RAC, Curitiba, v. 15, n. 2, pp. 320-332, Mar./Abr. 2011.

MUNSBERG, João Alberto Steffen SILVA, Gilberto Ferreira da. Interculturalidade na perspectiva da descolonialidade: possibilidades via educação. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 13, p. 140-152, 2018. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9175 Acesso em: 25 de set de 2020.

PERASSOLO, João. Área indígena: Street art pela causa guarani (reportagem sobre o trabalho de Xadalu). Revista Piauí. São Paulo, edição 150, s.p. , março, 2019. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/materia/area-indigena/

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. En: LANDER, Edgard (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 117-142. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf Acesso em 18 de set de 2020.

QUINTERO, Pablo; FIGUEIRA, Patrícia; ELIZALDE, Paz, C. Uma breve história dos estudos decoloniais. IN: Arte e descolonização. Cadernos Masp-Afterall v. 3. São Paulo. 2019. Pdf

QUIRINO, Flávia. Tekohá é vida. FIAN/BRASIL. 2017. Disponível em: https://fianbrasil.org.br/tekoha-e-vida/ Acesso: 23 mai 2020.

ROSA, Carolina Schenatto; SILVA, Gilberto Ferreira da. . Carolina Maria de Jesus e o pensamento liminar na literatura brasileira. Revista Estudos Feministas, v. 28, p. 1-12, 2020.

Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ref/v28n2/1806-9584-ref-28-02-e60635.pdf Acesso: 25 de set de 2020.

SAID, Edward. Resistência e oposição. In: Cultura e Imperialismo. trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 245-347.

SILVA, Gilberto Ferreira da. Culturas(s), currículo, diversidade: por uma proposição intercultural. Contrapontos, Itajaí – SC, v.6, n.1, p. 137-148, jan/abril; 2006.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Trad. Sandra Regina Goulart Almeida/Marcos Pereira Feitosa. 3ª. Reimpressão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2018.

SILVA, Keyde Taisa da; BICALHO, Poliene Soares dos Santos. Uma abordagem decolonial da história e da cultura indígena: entre silenciamentos e protagonismos. Crítica Cultural – Critic, Palhoça, SC, v. 13, n. 2, p. 245-254, jul./dez. 2018.

WALSH, Catherine. Interculturalidad Crítica/Pedagogia decolonial. In: Memórias del Seminario Internacional "Diversidad, Interculturalidad y Construcción de Ciudad", Bogotá: Universidad Pedagógica Nacional 17-19 de abril de 2007.

Publicado

2021-04-05

Como Citar

ASSIS, S. L. C.; MACIEL, P. G.; KOLLING, L.; SILVA, G. F. DA. Vozes resistentes na e da aldeia: da colonialidade às expressões artísticas indígenas contemporâneas. ÎANDÉ : Ciências e Humanidades, v. 5, n. 1, p. 58 - 72, 5 abr. 2021.

Most read articles by the same author(s)