Quando só a violência pode acabar com a violência:

Fanon, Sartre e a luta anticolonial.

Autores

  • Frederico Moreira Guimarães Universidade Federal do ABC

DOI:

https://doi.org/10.36942/rfim.v3i1.835

Palavras-chave:

Violência, anticolonialismo, Fanon, Sartre, Revolução

Resumo

Tendo como perspectiva Os condenados da terra de Frantz Fanon, e o importante prefácio desta obra escrito por Jean-Paul Sartre, o presente artigo pretende examinar os posicionamentos de ambos os pensadores sobre as lutas descoloniais, tendo como referência a experiência de Fanon na Argélia e o seu engajamento na Frente de Libertação Nacional. Diante da extrema violência francesa neste território da África setentrional, denunciada nas diversas obras e artigos políticos escritos por Fanon, a violência da resistência argelina se apresenta como alternativa na luta dos povos explorados, numa guerra desigual e injusta na qual torna-se, na visão dos autores, impossível a neutralidade. Dessa forma, o presente artigo tem como escopo produzir uma análise da violência dentro do debate ético-político das lutas anticoloniais a partir da interpretação dos pensadores citados, tendo como contraponto a crítica de Hannah Arendt à posição dos autores, para a compreensão do projeto fanoniano de defesa da causa argelina, demonstrando à luz da história e de seu projeto filosófico, quando a violência se torna a única ferramenta para combater outra violência maior.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Rodrigo Davi. “Jean-Paul Sartre e o Terceiro Mundo (1947-1979)”. Latin American Journal of Development, [S. l.], v. 3, n. 5, p. 2789–2800, 2021. Disponível em: https://latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/jdev/article/view/730. Acesso em: 11 aug. 2022.

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Sartre: direito e política: ontologia, liberdade e revolução. São Paulo: Boitempo, 2016.

ARANTES, Marco Antônio. “Sartre e o Humanismo Racista Europeu: uma leitura sartriana de Frantz Fanon”. Sociologias, [S. l.], v. 13, n. 27, 2011. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/sociologias/article/view/22486. Acesso em: 11 ago. 2022.

ARENDT. Hannah. Sobre a violência. 3ª ed. Tradução de André Duarte. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

BALIBAR, Étienne. Violence and Civility: on the limits of political philosophy. Translated by G. M. Goshgarian. New York: Columbia University Press, 2015.

BALIBAR, Étienne. “Violencia: idealidad y crueldade”. Polis (Santiago), [S.l.], n. 19, july 2008. Disponible en: https://polis.ulagos.cl/index.php/polis/article/view/570/1054. Fecha de acceso: 11 aug. 2022.

FANON, Frantz. Escritos Políticos. Tradução de Monica Stahel. São Paulo: Boitempo 2021.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Tradução de José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1968.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

SARTRE, Jean-Paul. Colonialismo y neocolonialismo: Situations, V. 2ª ed. Traducción de Josefina Martínez Alinari. Buenos Aires: Editorial Losada, 1965.

SARTRE, Jean-Paul. “Prefácio”. In FANON, Frantz. Os condenados da terra. Tradução de José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1968.

SARTRE, Jean-Paul. Que é a Literatura? 3ª ed. Tradução de Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Ática, 2006.

SARTRE, Jean-Paul. “Questão de Método”. In. SARTRE, Jean-Paul. Sartre: Coleção “Os Pensadores”. 3ª ed. Tradução de Bento Prado Júnior. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

SARTRE, Jean-Paul. Reflexões sobre o racismo. 4ª ed. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1965.

SARTRE, Jean-Paul. Sartre no Brasil: a conferência de Araraquara; filosofia marxista e ideologia existencialista. 2ª ed. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. Rio de Janeiro: Paz e Terra; São Paulo: UNESP, 1986.

SILVA, Franklin Leopoldo e. Ética e Literatura em Sartre: ensaios introdutórios. São Paulo: UNESP, 2004.

Downloads

Publicado

2023-11-16

Como Citar

MOREIRA GUIMARÃES, Frederico. Quando só a violência pode acabar com a violência:: Fanon, Sartre e a luta anticolonial. Revista de Filosofia Instauratio Magna, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 69–94, 2023. DOI: 10.36942/rfim.v3i1.835. Disponível em: https://periodicos.ufabc.edu.br/index.php/instauratiomagna/article/view/835. Acesso em: 30 nov. 2023.

Edição

Seção

Dossiê