As Características e impactos das políticas públicas de atenção à saúde materna no Brasil nos últimos 20 anos

Conteúdo do artigo principal

Isabelle de Almeida Teles

Resumo

Resumo
A formulação de políticas públicas para a saúde da mulher cresceu principalmente a partir do século XX, quando foram desenvolvidas inúmeras estratégias para a redução da mortalidade materna que subsidiaram a abertura de uma agenda de políticas para a saúde da mulher no Brasil. A taxa de mortalidade materna é um dos principais indicativos da condição socioeconômica precária de uma população, uma vez que é diretamente influenciada por fatores como a escolaridade, a raça, o estado civil e o padrão socioeconômico das mulheres. Entretanto, empecilhos como a subnotificação e o subregistro dos óbitos maternos dificultam a formulação de estratégias eficientes para a melhoria do indicador. Este estudo busca analisar se políticas públicas brasileiras como o Programa Nacional de Humanização do Pré Natal e Nascimento, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, o Pacto Nacional Pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal e a Rede Cegonha impactaram positivamente no acesso à atenção pré natal e na redução da taxa de mortalidade materna nas últimas duas décadas. 


Abstract


The formulation of public policies for women's health grew mainly from the 20th century, when numerous strategies that subsidized the opening of a policy agenda for women's health in Brazil were developed. The maternal mortality rate is one of the main indicators of the precarious socioeconomic condition of a population, since it is directly influenced by factors such as education, race, marital status and the women’s socioeconomic standard. However, obstacles such as under-report and under-record of maternal deaths make it difficult to formulate efficient strategies to improve the indicator. This study seeks to analyze whether Brazilian public policies such as the National Program for the Humanization of Prenatal and Birth, the National Policy for Integral Attention to Women's Health, the National Pact for the Reduction of Maternal and Neonatal Mortality and the Stork Network had a positive impact on access to prenatal care and the reduction of the maternal mortality rate in the last two decades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
TELES, Isabelle de Almeida. As Características e impactos das políticas públicas de atenção à saúde materna no Brasil nos últimos 20 anos . ÎANDÉ : Ciências e Humanidades, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 64–73, 2023. DOI: 10.36942/iande.v7i1.693. Disponível em: https://periodicos.ufabc.edu.br/index.php/iande/article/view/693. Acesso em: 15 abr. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ALVES, Rafaela Pereira et al. Mortalidade materna em tempos de pandemia de COVID-19: Uma revisão integrativa. Research, Society and Development, v. 11, n. 4, 2022. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26942 Acesso em: 14 de maio de 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Pacto nacional pela redução da mortalidade materna e neonatal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Brasília: Ministério da Saúde; 2000.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes – Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

FERRAZ, Lucimare; BORDIGNON, Maiara. Mortalidade materna no Brasil: uma realidade que precisa melhorar. Revista Baiana de Saúde Pública, v.36, n.2, p.527-538 abr./jun. 2012. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2012/v36n2/a3253.pdf Acesso em: 03 de abril de 2022.

GUERRA, Heloísa Silva et al. Análise das ações da Rede Cegonha no cenário brasileiro. Iniciação Científica Cesumar, v. 18, n. 1, p. 73-80, 2016. Disponível em: https://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/iccesumar/article/view/4897/pdf Acesso em: 13 de maio de 2022.

JORGE, Herla; HIPÓLITO, Maiza; MASSON, Valéria; SILVA, Raimunda. Assistência pré-natal e políticas públicas de saúde da mulher: revisão integrativa. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v.28, n.1, p.140-148, jan./mar., 2015. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=40842428019 Acesso em: 03 de abril de 2022.

LAURENTI, Ruy; JORGE, Maria Helena P.; GOTLIEB, Sabina Léa Davidson. Mortes maternas e mortes por causas maternas. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 17, n. 4, p. 283-292, 2008. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?pid=S1679-49742008000400005&script=sci_arttex t&tlng=pt. Acesso em 14 de maio de 2022.

LAURENTI, Ruy; JORGE, Maria Helena P.; GOTLIEB, Sabina Léa Davidson. Reflexões sobre a mensuração da mortalidade materna. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 23-30, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/wbkH9DyZ3MJ5FcNdnGTHkcn/?format=pdf&lang=pt

Acesso em 5 de maio de 2022.

LEAL, Maria do Carmo et al. Saúde reprodutiva, materna, neonatal e infantil nos 30 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Ciência & Saúde Coletiva, 2018, v. 23, n.6, pp. 1915-1928. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.03942018 Acesso em 28 de abril de 2022

MARTINS, Alaerte Leandro. Mortalidade materna de mulheres negras no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 22, n. 11, p. 2473-2479, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/sW5LM59346pcKJ9XqZXLL6R/?format=pdf&lang=pt Acesso em: 05 de maio de 2022

MORSE, Marcia Lait et al. Mortalidade materna no Brasil: o que mostra a produção científica nos últimos 30 anos?. Cadernos de Saúde Pública, v. 27, n. 4, p. 623-638, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/R4VnMBKz9d4f5Jp9bF6Pxzr/?format=pdf&lang=pt

Acesso em: 05 de maio de 2022.

NETO, Edson; ALVES, Kelly; ZORZAL, Martha; LIMA, Rita. Políticas de Saúde Materna no Brasil: os nexos com indicadores de saúde materno-infantil. Saúde e Sociedade, v.17, n.2, p.107-119, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sausoc/a/hHYL5zwfpBRd88Bcd6bzsTp/?format=pdf&lang=pt

Acesso em: 03 de abril de 2022.

NUNES, Aryelly Dayane da Silva et al. Acesso à assistência pré-natal no Brasil: análise dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 30, n. 3, 2017. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/6158 Acesso em: 14 de maio de 2022.

SANTANA, Tamiles Daiane Borges et al. Avanços e desafios da concretização da política nacional da saúde da mulher: reflexão teórica. Revista de Atenção à Saúde, v. 17, n. 61, 2019. Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/6012 Acesso em: 10 de maio de 2022.

VIANA, Rosane da Costa; NOVAES, Maria Rita Carvalho Garbi; CALDERON, Iracema de Mattos Paranhos. Mortalidade Materna: uma abordagem atualizada. Comunicação em Ciências da Saúde, v. 22, sup. 1, p. 141-152, 2011. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/136938. Acesso em 13 de abril de 2022.