Sobrevivendo ao Capitaloceno: o caso da comunidade caiçara da Enseada da Baleia, Cananéia/SP

Autores

  • Juliana Greco Yamaoka Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Tatiana Mendonça Cardoso Grupo de Mulheres da Enseada da Baleia (MAE)
  • Giovanna Gini Queen Mary University of London

Palavras-chave:

Comunidades tradicionais, erosão costeira, mudanças climáticas, Capitaloceno

Resumo

A realocação da comunidade caiçara da Enseada da Baleia, a partir de 2017, foi resultado de uma articulação de fatores que demandam uma análise interdisciplinar. Para refletir sobre as pressões vivenciadas nesse estudo de caso, analisou-se depoimentos de moradores, a partir do conceito de Capitaloceno. Como resultados, tem-se a soma de fatores que provocaram a erosão costeira e que só puderam evitar seu desaparecimento, pela proposta de organização local que contrapõe modelos neoliberais de desenvolvimento.

Biografia do Autor

Juliana Greco Yamaoka, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento, na linha de Epistemologia Ambiental da Universidade Federal do Paraná (UFPR), bolsista pela CAPES. Mestra em Desenvolvimento Territorial Sustentável, na linha de Socioeconomia e Saberes Locais, pela UFPR - Setor Litoral, especialista em Desenvolvimento Regional (UFPR) e bacharel em Turismo (UAM). Facilitadora e educadora popular, trabalha com comunidades tradicionais e coletivos de economia solidária em projetos socioambientais e pesquisa científica.

Tatiana Mendonça Cardoso, Grupo de Mulheres da Enseada da Baleia (MAE)

Caiçara, Cientista Social pela Universidade de Franca (UNIFRAN), educadora popular, atua em projetos e estudos sobre tradição, fortalecimento feminino e conservação ambiental. Moradora da comunidade da Enseada da Baleia, Ilha do Cardoso, Cananéia/SP, integrante do grupo das Mulheres da Enseada da Baleia (MAE), trabalhando com confecção sustentável/arte em madeira, culinária e turismo comunitário e educacional.

Giovanna Gini, Queen Mary University of London

Aluna de doutorado que trabalha com mobilidades no Antropoceno com foco na América do Sul. Bacharel em Ciências Políticas pela Universidade de Trento, Itália; onde também em 2018 concluiu seu mestrado em Estudos Europeus e Internacionais com uma tese com o título: ‘Migração como Estratégia de Adaptação: Um estudo de caso da Tanzânia’. Desde 2018, faz parte do programa Mobile People, uma colaboração entre a Queen Mary University of London e o Leverhulme Trust Doctoral (QMUL-LTDS). Colabora com a Rede Sul-Americana para Migrações Ambientais (RESAMA).

Publicado

2021-09-06

Como Citar

GRECO YAMAOKA, J. .; MENDONÇA CARDOSO, T. .; GINI, G. . Sobrevivendo ao Capitaloceno: o caso da comunidade caiçara da Enseada da Baleia, Cananéia/SP. Diálogos Socioambientais na Macrometrópole Paulista, v. 4, n. 11, p. pp. 32 - 35, 6 set. 2021.