Vida, pensamento e arte no partido-alto

ensaio sobre os assombros na improvisação musical

Autores

  • Samon Noyama UFABC
  • Jackson Santos UERJ

DOI:

https://doi.org/10.36942/rfim.v2i2.766

Palavras-chave:

partido-alto, improviso, estética e filosofia da arte, filosofia popular brasileira.

Resumo

O presente ensaio tem o intuito de chamar a atenção para a existência de outros saberes além da tradição filosófica ocidental, tomando a arte do improviso no partido-alto como abordagem não apenas musical, mas também ético-política, e sem recorrer tão somente a definições que transformam o improviso e o samba em objetos de obsessão conceitual. Nossa travessia perpassa a desconstrução derridiana, bem como a metafísica macumbeira de Simas e Rufino, para riscarmos alguns versos acerca do improviso enquanto uma indissociável relação entre vida, pensamento e arte. Os assombros e transes em torno do improviso, além de permitirem uma política das heranças e das gerações, abrem caminho para transgredir os limites impostos pela racionalidade ocidental, seu expediente conceitual e suas intransigências para fertilizar outras metodologias filosóficas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DERRIDA, Jacques. Adeus a Emmanuel Lévinas. São Paulo: Perspectiva, 2008.

____. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho de luto e a nova internacional. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

____. Posições. Belo Horizonte: Autêntica, 2001

DIAS, Rosa. As paixões tristes: Lupicínio e a dor-de-cotovelo. RJ: Ape’Ku. 2020

GONZALEZ, Lélia; HASENBALG, Carlos. Lugar de Negro. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

HADDOCK-LOBO, Rafael. Considerações sobre "Posições" de Derrida. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 16, n. 21, p. 66-77, julho 2007. ISSN 0104-6675. Disponível em: http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/219

____.Não aprendi dizer adeus. Educação e Filosofia v. 29, n. 58, p. 547-566, 21 mar. 2016.

LOPES, Nei. Partido-Alto: Samba de Bamba. Rio de Janeiro: Pallas, 2008.

LOPES, Nei; SIMAS, Luiz A. Dicionário da história social do samba. RJ: Civilização brasileira, 2019.

LOPES SILVA, Wallace (org.). Sambo, logo penso: Afroperspectivas filosóficas para pensar o samba. Rio de Janeiro: Hexis Editora, 2015.

MOURA, Roberto. Tia Ciata e a Pequena África no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Biblioteca Carioca, 1995.

NIETZSCHE, Friedrich. Aurora. SP: Cia das Letras, 2004.

NOGUERA, Renato. O Ensino de Filosofia e a Lei 10. 639. Rio de Janeiro: Editora Pallas, 2015.

HIRSZMAN, Leon. (Dir.) Partido-alto. Produção: Embrafilme. Brasil, 1976-1982.

RIOS, Flávia; LIMA, Márcia. Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

SIMAS, Luiz. A.; RUFINO, Luiz. Fogo no Mato: ciência encantada das macumbas. RJ: Mórula, 2018.

Downloads

Publicado

2023-02-16

Como Citar

NOYAMA, Samon; SANTOS, Jackson. Vida, pensamento e arte no partido-alto: ensaio sobre os assombros na improvisação musical. Revista de Filosofia Instauratio Magna, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 118–139, 2023. DOI: 10.36942/rfim.v2i2.766. Disponível em: https://periodicos.ufabc.edu.br/index.php/instauratiomagna/article/view/766. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Especial