Para um mundo moral

as disposições da natureza humana para a transição do estado natural à formação do estado civil

Autores

  • Matheus Maciel Paiva Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.36942/rfim.v1i2.431

Palavras-chave:

moralidade, antropologia, natureza, estado, perfectibilidade

Resumo

A proposta do artigo é investigar a compreensão kantiana do estado de natureza, como esta noção se encontra inserida dentro do sistema filosófico de Kant e sua relação com o gênero humano no que se refere à moralidade, que emerge enquanto um dever para sair deste estado pré-jurídico para um estado de direito público. Neste sentido, este movimento de transição, compreendido no sentido de perfectibilidade da espécie humana, é também trabalhado. Para tanto, alguns conceitos devem ser tratados, como por exemplo a noção de mundo, sua ideia, seu ideal e sua significação existenciária, uma vez que permite compreender a extensão do mundo moral kantiano. Assim, o trabalho aproxima, na medida do possível, o pensamento crítico-epistemológico de Kant, com sua doutrina do direito e seu projeto antropológico-pragmático a fim de compreender o móbil da perfectibilidade e do dever moral da espécie humana que caminha, necessariamente, para um estado civil, mesmo que este não seja o ápice do ideal moral.

Referências

BYRD, Sharon; HRUSCHKA, Joachim. Kant’s doctrine of right: a commentary. New York: Cambridge University Press, 2010.

FLIKSCHUH, Katrin. Kant and modern political philosophy. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização, novas conferências introdutórias à psicanálise e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

HEIDEGGER, Martin. Que é uma coisa? Doutrina de Kant dos Princípios Transcendentais. Lisboa: Edições 70, 1987.

HEIDEGGER, Martin. Introdução à filosofia. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. 1ª reim. Campinas: Ed. UNICAMP, 2014.

HOBBES, Thomas. Leviatã: ou matéria, forma e poder de um Estado Eclesiástico e Civil. 4ª reimp. São Paulo: Martin Claret, 2017.

KANT, Immanuel. Ideia de uma História Universal com um propósito cosmopolita. Trad. Artur Morão. Covilhã: Lusosofia, 2004.

KANT, Immanuel. Para a paz perpétua. Tradução de Bárbara Kristensen. Galiza: Instituto Galego, 2006a.

KANT, Immanuel. Antropologia de um ponto de vista pragmático. São Paulo: Iluminuras, 2006b.

KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Lisboa: Edições 70, 2007.

KANT, Immanuel. Sobre a expressão corrente: Isto pode ser correcto na teoria, mas nada vale na prática. In: KANT, Immanuel. A paz perpétua e outros opúsculos. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, p. 59-109, 2013.

KANT, Immanuel. A paz perpétua: um projeto filosófico. In: KANT, Immanuel. A paz perpétua e outros opúsculos. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, p. 129-185, 2013.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. 4ª ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

KANT, Immanuel. Metafísica dos Costumes. 3ª reimp. Petrópolis: Vozes, 2017.

KLEIN, Joel. Reflexão teleológica e o caráter da espécie humana na Antropologia de um ponto de vista pragmático. In: BORGES, Maria de Lourdes (Org.). Comentários sobre a Antropologia de um ponto de vista pragmático de Kant. Florianópolis: Nefiponline, p. 83-126, 2018.

LEBRUN, Gérard. Kant y el final de la metafísica: Ensayo sobre la Crítica del Juicio. 1ªed. Madrid: Escolar y mayo; 2008.

MARTINS, Clélia Aparecida. A “Antropologia de um ponto de vista pragmático” e a filosofia política de Kant. In: BORGES, Maria de Lourdes (Org.). Comentários sobre a Antropologia de um ponto de vista pragmático de Kant. Florianópolis: Nefiponline, p. 23-53, 2018.

NAHRA, Cinara. Sobre o aperfeiçoamento moral como destino da espécie humana. In: BORGES, Maria de Lourdes (Org.). Comentários sobre a Antropologia de um ponto de vista pragmático de Kant. Florianópolis: Nefiponline, p. 12-22, 2018.

LOCKE, John. Segundo Tratado sobre o Governo Civil. 1º ed. São Paulo: Victor Civita, 1973.

PINZANI, Alessandro. Sobre a terceira antinomia. In: KLEIN, Joel Thiago. Comentários às obras de Kant: Crítica da Razão Pura. Florianópolis: Nefiponline, p. 561-590, 2012.

RIPSTEIN, Arthur. Force and Freedom: Kant’s legal and political philosophy. Massachusetts: Harvard University Press, 2009.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discursos sobre a origem e os fundamentos da desigualdade. São Paulo: Nova Cultural, 1973.

TERRA, Ricardo. A Política Tensa: Ideia e realidade na filosofia da história de Kant. São Paulo: Iluminuras, 1995.

Publicado

2021-07-14

Como Citar

PAIVA, M. M. Para um mundo moral: as disposições da natureza humana para a transição do estado natural à formação do estado civil. Revista de Filosofia Instauratio Magna, v. 1, n. 2, p. 182-236, 14 jul. 2021.

Edição

Seção

Artigos